-

Tishá BeAv

Tishá BeAv – a destruição do Templo Sagrado
תשעה באב

Um dia de luto marcado pela destruição do Primeiro Templo, destruído em 586
AEC por Nabucodonosor, Rei da Babilônia, e a destruição do Segundo Templo,
destruído no ano 70 EC por Titus, Imperador de Roma. Essa data também
marca o início da expulsão dos Judeus da Espanha em 1942, por ordem da
Monarquia Espanhola. Todos esses acontecimentos transformaram este dia no
principal dia de luto no calendário Judaico. Existem mais três dias de luto
associados com a destruição do Primeiro e do Segundo Templos, mas
Tishá BeAv é o mais importante de todos.

As três semanas que precedem Tishá BeAv é o período conhecido como Bein
HaMeitzarim – um período de luto que inicia no dia 17 de Tamuz, o dia em que
os muros de Jerusalém foram violados, anterior à destruição do Segundo
Templo (que também é um dia de jejum). Muitas práticas de lamentações são
observadas durante este período: não há cerimônias de casamento, e Judeus
religiosos não cortam o cabelo nem ouvem músicas.
Tishá BeAv é um dia de jejum assim como o é o Dia do Perdão, que se inicia
no pôr-do-sol da véspera de 9 de Av e dura até o pôr-do-sol do dia seguinte.
O dia de jejum inclui muitas outras proibições ou prazeres físicos.

Costumes de Tishá BeAv

Jejum – Este é um jejum total, sendo proibido tanto a comida quanto a bebida.

Outras proibições e abstinências físicas – lavar-se, usar sapatos de couro,
etc.
A observância severa inclui dormir no chão e não sentar-se em cadeiras
durante o dia (normalmente até o meio-dia).

Leitura do Livro das Lamentações (Echá) – O Livro Bíblico das Lamentações
é um lamento sobre a destruição do Primeiro Templo escrito, de acordo com a
tradição, pelo profeta Jeremias. As lamentações descrevem a situação de
extrema tristeza de Jerusalém e do Povo Judeu após a destruição.

O texto justifica o decreto da destruição imposto por Deus ao Povo Judeu pelos
seus pecados, mas também contém palavras de conforto e súplicas a Deus
para perdoar seu povo e devolvê-lo a sua antiga condição. Existe um costume
de ler as Lamentações à luz de velas, enquanto senta-se no chão.

Rezar no Muro Ocidental – Em Tishá BeAv muitos Israelenses vão até o Muro
Ocidental, o último remanescente do Templo, para ler as Lamentações neste
local.